segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Amores

Eu me considero uma pessoa de muitos amores... Amores intensos, muitas vezes cheios de dor e mágoa, que apesar de não deixar transparecer ficam pra sempre guardados.
Mas durante quase 7 anos, tive dois amores na vida, aos quais fui totalmente fiel e responsável: minha boêmia e descompromissada sexta feira à noite e meu irresistível e comprometedor sábado.
E eles são dois amores exigentes.
Pela consideração da imensa alegria que eles me proporcionam, eu me sentia mais do que na obrigação de tentar fazer com que eles passassem por momentos inesquecíveis. Como todo bom amante, presentear nossos amores, só faz parte.
Algumas vezes meus amores chegavam na minha vida de uma forma que eu nem me lembro. Quando dava por mim, eles ja tinham promovido encontros, festinhas no apê, viagens de ultima hora, vibes inesquecíveis.
Até hoje eles me contam várias historias... Não se engane pensando que são apenas histórias boas, engraçadas e com final feliz... Muitas vezes, em meio a litros de lágrimas, desejei nunca ter conhecido nem sextas e nem sábados... Desejei esquecer meus amores... Será que ainda tem gente que não acredita que a maior dor é a dor do coração partido?
Mas como todo cafageste que se prese, eles vinham com aquele charme irresistível e em segundos você se rende, esquece toda raiva, todo arrependimento, e todas as promessas de esquecer aquele amor...
Durante sete anos eu me rendi. Não conseguia me conter, me impor. Porque eles são assim, a alegria em pessoa, nunca deixando espaço para contraria-los.
E pra que eu quereria?
A hora da despedida chegou. Mas dessa vez eles compreenderam... eles sabem que precisam me deixar ir... A conta não é mais de 7 anos... são 23 agora. Acabaram as férias de meio e final de ano... A faculdade ja ficou pra trás, a especialização também... O destino se encarregou de promover o término desse amor... Colocou na minha vida uma nova paixão... Talvez ela não promova 100% de diversão como os meus ex, mas ela me propõe segurança... Me prepõe um chance de futuro e até mesmo a oportunidade de conhecer novos amores...
Me despeço da minha boêmia e descompromissada sexta feira à noite e meu irresistível e comprometedor sábado para me render ao charme da Gastronomia, minha nova paixão. E esse término só vai ser possível porque minha nova paixão me fez o irresistível convite de trabalhar num cruzeiro marítimo italiano. Serão oito meses onde não vai existir sextas nem sábados... Todo dia é segunda feira.
Eu sei que a gente ainda vai se encontrar... Perdidos por aí, um dia qualquer, só pra matar a boa saudade... Mas sinto muito em dizer, vocês não são mais os meus dois amores. Não sou mais fiel e nem responsável por vocês... Serão apenas uma saudade na minha vida... Mas é hora de mudar.


E esse lugarzinho aqui, que também é um dos meus amores, vai continuar O Diário de uma Gourmet Viajante, relatando a vida a bordo, alguns restaurantes do mundo, a cozinha de um navio que alimenta 5.000 pessoas por dia, o itinerário de 8 meses pela Europa, e a saudade de casa...

Um comentário:

Tânia Tiburzio disse...

Que legal!! Boa viagem, bom trabalho, boa sorte!! Tudo de bom nesta nova fase!
Ah, Feliz Natal também!
Beijos!!