terça-feira, 29 de setembro de 2009

Pé quente e contatos!

São Paulo é uma cidade imensa, cheia de coisas pra fazer, de lugares para ir, de diversão e principalmente de trabalho. Mas para começar bem, para chegar no topo, se você contar com uma mãozinha extra vamos combinar que a história muda, ? Hoje em dia é preciso ter CONTATOS. Além de ser bom, e estar na hora certa, com as pessoas certas e perceber o momento certo, bla bla bla. Mas ter um bom canal sempre é o começo.

Eu tenho um canal.

E por ser uma pessoa, como meu pai diria: DE CREDIBILIDADE, ontem jantei no Eau, entrada prato principal e sobremesa + vinho, de graça. De GRAÇA. For free. Na faixa. Boca livre. Como quiser!
Longa história! Não vou aprofundar nos detalhes de como o jantar se tornou gratuito porque eu nem poderia já que não participei do pré. Mas resumindo, tudo começou quando minhas primas foram jantar no Eau no restaurante week e eu não pude ir porque estava doente. O jantar foi um pesadelo, o serviço estava horrível, e elas ficaram numa mesa escondida durante mais de duas horas implorando por comida e bebida. A brigada cometeu um erro atrás do outro, desde o atendimento até a hora de pagar a conta. Mas no final, presenteou as quatro com um jantar for free com uma garrafa de vinho para se desculpar e reconquistar o cliente.
Aí entra a necessidade de ter bons contatos! Eu não fui no jantar, não passei raiva, não passei fome, com certeza nessa hora eu estava no meu 10º sono, com 20 tylenois na cabeça, sonhando. Mas eu fui na degustação free!
!

Vamos ao jantar!

Todo mundo conhece o ditado do "errar é humano mas persistir no erro é burrice". O Eau não é burro não. Primeiro já começamos contando pontos em terem oferecido o jantar. Isso não é qualquer estabelecimento que faz. (Por burrice)
Nós adoramos o jantar, conhecemos o cardápio da casa, e eu ainda me impressionei quando olhei os preços. Na minha imaginação, meu fucking Amex nunca daria conta dos preços do restaurante. Jamais! Nem são exorbitantes!

O prédio, claro, é lindo! Logo no hall de entrada e recepção, há um bar e um lounge para espera separando de um lado o Kinu, e do outro o Eau. Em cima desse bar há uma adega liiiiiiinda. Parece uma biblioteca de vinhos. Uma estante de metal bem alta, repleta de vinhos, com uma passarela transparente na frente.
Bem recebidas, devidamente instaladas, começamos com o vinho muito bem escolhido pelo sommelier. O couvert tem pães ótimos, mas achei um pouco pobrinho. Poderia ser um pouco mais incrementado. Mas tem um pão grande muito bom e uns pãeszinhos de massa choux com queijo DELICIOSOS. Quentinhos e derretem na boca. Parece ser tudo produzido pela casa. De acompanhamento só manteiga e uma pastinha de berinjela, o que na minha opnião deveria ou vir mais uma coisa, ou apenas um bom azeite e um sal temperado. O pão se encarrega do resto.

Uma coisa que me chamou atenção é que mesmo o jantar sendo de graça o serviço foi impecável, por exemplo, eles não tiveram pudor nenhum ao oferecer os pratos. Todos foram citados, devidamente explicados, alguns indicados, e até o menu degustação foi oferecido.

De entrada destaque para a sopa de batata. Onde a batata era só coadjuvante. Foi a sopa mais gostosa que eu ja experimentei! Também provamos sopa fria de abóbora com sorbet de queijo de cabra e caçarola de ovos moles com cogumelos e parma. Perfeitos.

Nos pratos principais, carrè de cordeiro (o melhor prato da noite), pargo grelhado e pato laqueado. O pato também estava delicioso, com uma crosta bem crocante e o interior bem macio. Lá os pratos de carnes não tem acompanhamento fixo. Vocês escolhe com o que quer comer. Amei o acompanhamento de feijão branco com foi gras e parma. Bem cremoso. Bastante opções com verduras e legumes (o que sempre falta nos demais restaurantes) e bastante batata também (purê, rústica etc). O pargo veio no ponto mas se mostrou um prato sem nada demais. Destacou mais o acompanhamento de ratatouille, com os legumes firmes e tenros, cozidos e temperados na medida. E na descrição do prato o peixe vinha com parma, que foi esquecido na cozinha e não apareceu na mesa.

As sobremesas também fizeram sucesso. Destaque para os sorbets de frutas brasileiras: cupuaçu, graviola, cajá e pitanga. Faltou só um açaí... Mas os sorbets da casa são DIVINOS. Textura e sabor muito bem equilibrados. Sem muita acidez nem muito açúcar. Muito, muito, muito bom.
As carolinas e a torta de chocolate com sorbet de cajá também eram ótimas.
O mil folhas de doce de leite vem com uma banana nanica caramelizada inteira no meio das folhas, e o sorbet de chocolate amargo também é perfeito. Ótimo casamento.

Todos os pratos estavam super bem feitos e principalmente bem servidos. Senti falta apenas de mais frutos do mar no cardápio e massas feitas na casa com recheios particulares...

Ótima noite.
Ótimas companhias.
E ótimo contato! (kkkkkkkkk)

Eau
Grand Hyatt Hotel
Av. Nações Unidas, 13301 – Brooklin
(11) 2838-3207
www.eau.com.br

Nenhum comentário: