domingo, 9 de agosto de 2009

Não por acaso...

Não foi por acaso.
Nunca foi nem nunca será.
Já que segundo o dicionário acaso significa acontecimento incerto ou imprevisível.
Dizem que os filhos escolhem os pais.
Eu escolhi esse. E não foi por acaso.
Não me lembro porque escolhi, mas deve ter sido porque era bonito. E fácil de amar.
Era alegre e engraçado. As vezes teimoso. E porque era fácil de amar.
De presente gostaria de poder dar a eternidade.
Para nunca mais me preocupar.
Mas seremos eternos, apenas para nós.
Nas memórias, no coração, em qualquer coisa, seremos eternos.
Não foi por acaso.
Foi porque era fácil de amar.

Todo dia é seu dia, pai.

3 comentários:

Maria Teresa disse...

Fácil de amar e difícil de controlar, risos....
Gostei!

Anônimo disse...

É pra chorar, Marina???? Seu DNA poético está em alta. Parabéns!!!
Marta

Marina Sabino disse...

Vou fazer uma pra vc tb Maaaarrrrrta!!!!!!!!!!!!!!!!