segunda-feira, 29 de setembro de 2008

São Paulo forever

I wanna São Paulo forééééva!
Mesmo o João Paulo tendo abolido a palavra OBRIGADA do vocabulário dele e ter adotado a frase: SILÊNCIO MARINA, EU AMO O SILÊNCIO! Meeeeeesmo assim, I wanna São Paulo forévera!
Sábado fomos comer no Hitam.


Situado na Vila Mariana, o Hitam, que significa Bem Estar em sânscrito é um restaurante charmoso, calmo, com uma cozinha meio oriental, meio thailandesa, mas cheio de temperos brasileiros. No cardápio os destaques são os kathi rolls --sanduíches enrolados no pão folha. Para beber, a casa sugere o lassi, bebida típica da Índia preparada à base de iogurte orgânico, frutas e especiarias. No Hitam, os ingredientes são selecionados e sempre que possível, orgânicos. A produção é caseira e artesanal, com toques de sofisticação. Apesar do courvert ser ótimo, composto de pão de ervas caseiro, semente de girassol assada e acompanhamentos à base de ricota, não fomos felizes nos pratos principais! Havia faltado um cozinheiro, talvez fosse esse o problema de origem, mas todos os pratos estavam MUITO temperados... A moqueca de peixe estava tão carregada no dendê que era impossível comer... Meu salmão também tinha muito tempero, tanto que nem senti o gosto do peixe... Mas o kathi holl do meu irmão, de frango orgânico com shoyo estava ótimo... E as bebidas também... Suco de uva roxa com agua de côco, de tangerina, chá gelado de pêssego com baunilha... Todos deliciosos... O ambiente é ótimo, calmo, com uma música relaxante no fundo... Sentamos numa mesa perto da varanda, do lado de uma janela... Tudo contribuiu para amenizar o caos mental de João Paulo... Embora eu acredite que ele tenha saído ainda mais perturbado de lá... Se é que isso é possível...


Domingo meu avô, minha e eu passamos mal de comer no japonês Asahi... Esse restaurante tem história... Meu avós o frequentam há anos e apesar dele ter passado por vários donos as duas irmãs garçonetes nunca saíram de lá... Seu público é geralmente fiel, mas quem vai pela primeira vez é logo recebido com boas vindas e a garçonete, Cilene, se apresenta como Marta Suplicy... Ela é engraçadíssima, e super animada... O ambiente é simples, porém muito simpático, a qualidade de seus peixes, que estão sempre frescos, mais a tradição do seu bom atendimento fazem com que o local seja um ótimo programa para os apreciadores da culinária japonesa. E o preço é acessível!

Saímos de lá passando mal...

E mesmo rolando, caímos direto pro Jockey Clube conhecer o Casa Boa Mesa...
Me arrependi um pouco de ter deixado pra ir no domingo, que com certeza devia estar mais cheio que os outros dias... Mas mesmo assim, valeu a visita... Saímos de lá APAIXONADOS...
Eu principalmente pela cozinha do Solteiro e pela Varanda Gourmet... Não levei máquina (até mesmo pq não tenho!) mas peguei as fotos no site do evento.
Pra quem não foi:

Cozinha do solteiro
Fernando Pinto Coelho e Simone Meirelles






Varanda Gourmet
Luciana Bueno




Skyline Bar
José Roberto Moreira do Valle






Home Office do Chef
João Armentano






Jardim dos Namorados
Ricardo Pessuto




Quinto Pecado Doceria
Leo Shetman




Restaurante Hitam
Rua Áurea, 333 – Vila Mariana
Tel: 11 – 5082-4589

Restaurante Asahi
Rua Fernão Dias, 599 - Pinheiros Tel: 11 3031-2332

Jockey Club de São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 775 Cidade Jardim - São Paulo – SP
www.casaboamesa.com.br

3 comentários:

Rafa Gizzi disse...

Puts... quanta coisa boa!
São Paulo é São Paulo, né?! Sem comentários.

Uma curiosidade: vcs saíram de lá passando mal... de tanto comer? Hiuhiuheiuheiueh... xP

Bjuss.

Taciana disse...

O frango é orgânico? Ah, então eu como! Hahaha

For the record: Tânia is our best friend foreveeeeeeeeeeeeeeeeeer!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Johnny na Babilônia disse...

De fato, a comida é RECONFORTANTE! hahahahahahahahahhaha