sábado, 7 de junho de 2008

(des)Consolo

Meu pai sempre foi o rei das carnes lá em casa...
Por mais que minha mãe pelejasse, nunca conseguiu fritar um bife igual os do meu pai... Teve até uma época em que ela ficou obcecada por fritar bifes iguais ou melhores que os dele... O resultado foi que hoje, só como bifes quando vou pra casa...

Eles são altos, com casquinha por fora, e quando cortados derramam os sucos da carne no prato... São discretamente temperados e infinitamente macios... (salivou?)

Meu pai ainda faz a própria carne de sol... Faz ensopados de javali... Paleta de cordeiro...

Pois bem... Agora eu também sei fazer carnes!

A minha foi cozida em berço de fúria, ficou marinando horas no veneno, só pra poder competir com ele; o vira-casaca.

Chegou até mim a notícia que o MEU PAI andava fazendo jantares em NOSSA RESIDÊNCIA, aonde um dos ilustres convidados (pasmem agora*) seria um ex-falecido-muito-do-vivo-namorado meu!!!!!!
(sic!)
Que claro, óbvio, esperado e indispensável me ligou em pessoa (tô dizendo que o bicho ta mais vivo do que nunca*) para me contar que andava frequentemente jantando em minha casa, desfrutando da companhia e das delícias de meu pai......

Sem perceber, meu pai havia dado àquele jovem desprovido de coisas mais úteis para fazer, a oportunidade que ele vinha esperando há muito tempo: ter um motivo para me ligar e de alguma forma contar alguma vantagem sobre mim.
Deu até uma risadinha no final, exibindo orgulhosamente a imensa sorte dessa oportunidade atingir justamente o meu tendão de Aquiles: a vida social de meu pai.

Por alguns segundos perdi a fala...

Depois respondi, calmamente, em tom amistoso (juro), que realmente era um costume nosso (da minha família) promover a inclusão social de deficientes mentais partilhando ocasionalmente do prazer de uma boa refeição... Tipo como uma caridade... Ou um trabalho social voluntário...

Embora eu acredite que ele não tenha entendido uma única palavra da minha resposta desliguei o telefone como se ele tivesse o feito e me pus a arquitetar minha vingança contra aquele que tinha momentaneamente se tornado um adversário em potencial: o meu próprio pai...

Maior que a dor de ser traída é ser traída pelo seu próprio provedor...
Vai contra a natureza humana...

Mas como eu sei que uma refeição consumida na ira envenena o estômago, caprichei no preparo e deliciei-me com o nascimento do meu filho pródigo, o:


Cabrito Revoltado



Temperei meu competidor com uma mistura de 1 colher de sopa de sal, 1 de pimenta do reino e 1 de açúcar mascavo
*Esfreguei bem
Cubri com uma mistura de 300ml de cachaça, suco de 1 limão e 1 colher de sopa de mel ( Mas acho que duas colheres ficará melhor)
*Deixei marinando por 3h
Numa panela grande coloquei 1 colher de sopa de manteiga e um pouco de óleo e dourei o cabrito dos dois lados.
*Depois de dourado acrescentei o molho do marinado, e mais +- 400ml de caldo de carne
*Tampei e deixei cozinhar enquanto preparava as guarnições.


Farofa de Quirela com Linguiça Toscana

*Refoguei meia cebola grande picadinha e 2 dentes de alho também picados.
*Juntei 120g de quirela (canjiquinha) e deixei fritar por mais dois minutos
*Acrescentei 500ml de caldo de legumes, aos poucos, até cozinhar al dente e ficar quase seco.
Espalhei numa assadeira para secar e reservei.

Peguei duas linguiças toscanas e retirei a tripa, cortei e separei bem com a faca.
Refoguei em alho, cebola e 1/2 pimenta dedo de moça cortada.
Depois juntei a quirela e esperei secar até a farofa ficar soltinha.


Creme de Espinafre

Cozinhei um maço de espinafre no bafo até murchar.
Escorri e piquei.
Fiz um creme com 1 colher de sobremesa de manteiga, 1 colher de sobremesa rasa de farinha de trigo e dois copos de leite. Temperei com noz moscada ralada na hora, sal e pimenta do reino.
Juntei o espinafre.



Comi de joelhos.
Apesar da farofa de quirela ter saído tão gostosa que acabou ofuscando um pouco meu competidor, o conjunto se apresentou ótimo em cor, sabor e textura.







E nós estamos momentaneamente abalados, dr Ernesto.

6 comentários:

Maria Teresa disse...

Ma, te garanto que ele é seu pai, não padrastro. Somos humanos, erramos e perdoar é um dom. Mas, estou super divida: não sei se quero que você continue com muita raiva porque o cabrito estava divino ou se você volta a ficar em uma boa e melhora o humor.

Johnny na Babilônia disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk irretocável!!!

isabelasabino disse...

kkkkkkkkkk da próxima vez vc dá um jeitinho de adicionar meio vidro de gutalax no prato do convidado ilustre!!!!!!!!

Marina Sabino disse...

Runf
Que gutalax oq... Da próxima vez ele vai ter é que usar as asas mitológicas dele quando eu joga-lo pela sacada!!!!

Carlos Nascimento Jr e Rafaela Gizzi disse...

adorei a "patada" da inclusão social!!!
e as comidas então..
hmnmnmnmnmn
marina do céu....
UMA DELICIA!
um dia eu quero ir na sua casa só pra vc fazer um desses deliciosos pratos para eu comer

super beijos

carlos

Carlos Nascimento Jr e Rafaela Gizzi disse...

HIuhasiduahsduhadsuhaishdaishda... Muuuuuito bom o texto inteiriiiiiiinhu!!! o//

As comidas então? Impossível não salivar.

PS: Até eu fiquei com raiva do seu pai e desse cara! Aff... ashdihsudhsdiuhsda...

Homens homens... tsctsctsc...
=P~



Rafa.