domingo, 29 de junho de 2008

Beautiful Courgette Carbonara

Na onda da cozinha molecular, da explosão do fantástico mundo da gastronomia, de Atala, Ferran Adrià, Ducasse e cia, o meu chef preferido nunca deixou de ser o Jamie Oliver...
Sou fã incondicional dele... Toda terça, 6 da tarde, eu sento no sofá com papel e caneta na mão pra anotar a receita da semana no Em Casa com Jamie Oliver, que passa na GNT. Entro toda semana no site... Acho-o super despachado, simpático, engraçado, engajado em ações sociais, e o principal: ele faz o tipo de comida que eu mais gosto.
O programa dele não tem aquela coisa de tudo já picadinho em potinhos separados, etapa 1, etapa 2... É tudo bagunçado, rápido, as vezes até meio confuso... Mas quando assisto ao programa parece que estou me vendo na cozinha... Também sou meio agoniada, pegou bagunceira... Às vezes quem vê acha que é desleixo... Mas não é desleixo, até pq eu sempre limpo tudo depois, é que a gente não gosta daquela coisa certinha demais, picadinha demais, separadinha demaaaaaaais...
Esse macarrão é receita dele, e é um dos meus preferidos...

Beautiful Courgette Carbonara
Penne à Carbonara com Abobrinha

2 abobrinhas por pessoa (amarelas e verdes)
200g de penne por pessoa (*usei penne integral)
+- 6 fatias de bacon
1 gema por pessoa
250ml de creme de leite (usei light)
Sal e pimenta
Tomilho fresco
Parmesão ralado na hora

Coloque água com sal para ferver e cozinhe o macarrão al dente. Enquanto isso pique o bacon em pedaços não muito pequenos e doure até ficar crocante. Corte as abobrinhas ao meio, e depois cada metade em quatro, retire o miolo e corte as fatias na longitudinal como palitos. Depois corte os palitos na diagonal, não precisa ser pequeno. Junte a abobrinha ao bacon e tempere com sal e pimenta. Junte alguns raminhos de tomilho e vá refogando até a abobrinha ficar macia.
Numa tigela misture as gemas, o creme de leite e um punhado de parmesão.
Escorra o macarrão sem jogar toda água fora. Jogue o macarrão na frigideira do bacon e misture tudo. Acrescente a mistura de gemas e creme de leite e desligue o fogo. Coloque de 1/2 a 1 concha da água do cozimento do macarrão na frigideira para dissolver um pouco o creme.
Sirva com mais parmesão e folhas de tomilho fresco.

sábado, 28 de junho de 2008

Vem nimim férias!

Ok, eu assumo que como o inverno chegou fui quase obrigada a tomar vários chás de sumiço durante 10 dias... Enquanto o blog passava fome e frio, eu fazia 19864918263263 milhões de provas, arrancava o último siso e me afundava em um pote de sorvete e mil rosquinhas...

Mas também encerrava o semestre sem provas finais, sorria para exatos 30 dias de férias, sem ter que ir pra faculdade brigar com professor-pastor-que-dá-em-cima-das-alunas...

Vem nimim férias!!!!!!!!!!!!

Mas junto com as férias também veio a não-férias de ter que pagar 180h de estágio obrigatório na Black&Decker, não bitocar o Bigode, não bater o queixo em SP, e não se jogar na segunda feira do Calaf em Brasólia....

Eu assumo que meu humor anda no pé ultimamente... Mas eu tenho motivos:
  • Eu vim da Bahia, ou seja, eu ODEIO o inverno...
  • Eu não tenho dinheiro nem pra morrer, veja lá pra viver... Eu gostava mais quando o custo de vida do brasileiro era menor... Hoje, pra QUALQUER COISA que você vá fazer, morre 50 reais... E as onças meu amigo... Estão em extinção...
  • Eu não fui pra casa o semestre inteiro... Lembro-me VAGAMENTE da última vez que bitoquei o Bigode... Acho até que foi século passado...
  • O meu celular toca constantemente de madrugada, com melhores amigos bêbados, gritando risadas, reunidos de férias em Barreiras...
  • E eu sofro de um amor não correspondido pelo filho do meu dentista!!!!!!!!!!!! E não me sobrou nenhum siso pra arrancar...

Anyway... Estou voltando para cozinha... Logo, isso quer dizer que o blog abre para almoço amanhã...







Fonte

bjs

quarta-feira, 18 de junho de 2008

100 anos da Imigração Japonesa

Hoje comemora-se o centenário da imigração japonesa... Em 1908 o barco Kasatu Maru aportou em Santos SP trazendo 165 famílias que vinham trabalhar nos cafezais do oeste paulista.
Embora sejam registrados imigrações japonesas desde 1906...

Meu avô disse que não ia comemorar hoje porque não faz cem anos que ele chegou aqui! Mas eu não poderia deixar de comemorar...
Minha mãe e eu fomos pagar o olho da cara no único restaurante "japonês" de Uberaba City...

Meu avô é japonês, japonês de verdade, também veio de barco e tudo... Ele é suuuuper fofo, todo mundo se apaixona por ele no primeiro minuto que o conhece... Quando eu era pequena eu sempre perguntava se ele enxergava direito mesmo... O olho mal abria! Eu não conseguia me convencer que sim...
Quando íamos visitar a batian (mãe do meu avô), parecia outro mundo... Ela não falava português, então eu não tinha a mínima idéia do que ela tava falando... Nem do que ela queria saber sobre mim... Se é que ela queria saber alguma coisa... Ela sempre sorria e passava a mão no rosto da gente... E ficava falando ajfhiuhfuewhfiue fhouehfuihfhfu fsefguifofhuehfoj com meu avô ou algum outro tio meu...
Na escola ou na faculdade, eu SEMPRE perdia a paciência quando alguem lia o Nemoto do meu nome e já soltava:
-NEMOTO??????Mas Nemoto pq???????????????
-Pq minha mãe é japonesa...
-JA-PO-NE-SA?????Japonesa de onde?????????
- (... ...)

*duurr

-Meu avô é japonês...
-Mas ela é sua mãe mesmo??Tipo... Biológica?
- (...)
Minha vó é brasileira... Minha mãe é mestiça... Olho puxado, sobrenome Nemoto e tudo mais.... E eu puxei meu pai....
-E seu pai é o que??
- (..................................)
JAPONÊS É QUE NÃO É NÉ?
Ai, tchau...

Mas a verdade é que não tinha como não comemorar hoje...
A primeira coisa que meu pai perguntou pro médico quando eu nasci era se eu tinha olho puxado...
Meu avô é o maior sucesso entre as minha amigas, minhas primas, todo mundo que conhece ele...
Eu chamo ele de Seu Shigueta... Shiguetori... Garotchiiinho Abre o Olho! Dou beijo na careca... Puxo o bigode... Aperto a bochecha... E ele não faz nada... Só ri....
Só não pode chamar ele de Seu Miague (do Katarê Kid) pq ele realmente não gosta....

A nata da Imigração Japonesa:

???????????????????????????????



Fundação Japão (http://www.fjsp.org.br/)

Centenário na Imigração Japonesa no Brasil - Site Oficial (http://www.centenario2008.org.br)

Museu Histórico da Imigração Japonesa (http://www.nihonsite.com.br/muse/)

terça-feira, 17 de junho de 2008

Hoje a tarde, eu já estava atrasada para minha consulta no dentista, quando toca o interfone aqui de casa...
Era a moça do Correios, pedindo pra eu ABRIR O PORTÃO, para que ela JOGASSE a revista para dentro do hall do prédio pq não cabia na caixa de correspondências..............................
Perguntei qual era o nome pra quem estava endereçado a revista, e de fato, era realmente pra mim. Logo vi que seria a Prazeres da Mesa... O que DUPLICOU minha raiva...
Pedi pra ela esperar que eu estava descendo pra pegar a revista na porta, e ela me solta um:
-Não moça! Eu to atrasada! Abre a porta que eu JOGO a revista!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

????????????????????????????????????????????????????????


Nossa minha filha, você ta com uma carta de DEUS endereçada pro PAPA com selo de URGENTE na mão né??? Pq não dá pra esperar nem 1 minuto!!!!!!!!!!!!!! Eu espero realmente que essa Prazeres da Mesa tenha me mandado a BÍBLIA DA GASTRONOMIA porque PQP a revista não cabe na caixa de Correio??????????????????????????????????????
(*pensei....)
Apertei o botão para abrir a porta e "Vai minha filha, ARREMESSA essa revista e SE JOGA na sua próxima entrega urgente!!!!!!!!" Desci pra pegar a revista espatifada do lado do sofá do hall....
Rasguei a embalagem e quando vi a capa.............................................................................



Era como se eles tivessem escrito MARINA na capa....

E dentro escrito NEMOTO....


SABINO......


DE....

FREITAS....................



E eu não fui ao dentista mais.... Porque claaaaaaaaaaro, eu fui DIRETO pra academia.......... Daonde estou escrevendo no exato momento.... E daonde não sairei por 7 dias e 7 noites.................

domingo, 15 de junho de 2008

Comer é..............

Encher o pandú no final de semana, mandando felizmente todo o suor da semana inteira na academia pro espaço com:

Hambúrguer de Salmão com Espaguete Crocante

400g de salmão cortado em cubinhos (bem pequenos)
250g de espaguete nº3 (não usei o número 3)
1/2 cebola bem picada
1 ramo de salsinha bem picada
sal e pimenta do reino
manteiga sem sal

Misturei todos os ingredientes pro hambúrguer, temperei com sal e pimenta do reino, e formei 3 bolinhas, em formato de hambuúrguer e embrulhei em plástico para cozinha, individual, cada um, e coloquei no congelador.

Enquanto isso cozinhei o macarrão al dente, escorri.

Coloquei a chapa pra esquentar em fogo alto, sem untar, até começar a esfumaçar.
Peguei os hambúrgueres, passei um pouco de azeite neles, e coloquei na chapa e abaixei o fogo.
Coloquei em uma mini frigideira, uma colher de manteiga, e cobri com macarrão até preencher a frigideira. Em fogo baixo, fui apertando com as costas de uma colher para "compactar". Deixei dourar todo o fundo do macarrão e virei direto no prato.

Coloquei o hambúrguer em cima da cama de macarrão e reguei tudo com azeite de manjericão.


No domingo fiz uma receita de Batata Baroa que o meu pai me mandou, deliciosa! Só dei uma incrementada, fazendo umas almôndegas e um papilote de vegetais pra acompanhar!


Batata Baroa a Bolonhesa

3 fatias de bacon ¨ 1 cebola picada ¨ 1 dente de alho picado ¨ +- 250g dé filé mignon moído (usei fraldinha moída) ¨ 200g de tomate pelato italiano em lata ¨ 8 tomates secos (não usei pq não tinha) ¨ 200g de cogumelo Paris em cubos (usei champgnon em lâminas) ¨ louro, alecrim e orégano frescos ¨ 100ml de vinho tinto (não usei pq não tinha) ¨ 1 colher de sopa de balsâmico ¨ sal e pimenta

Puxe em uma panela o bacon picado e acrescente a cebola e o alho picados. Coloque a carne moída, tempere com sal e pimenta e refogue bem. Adicione o tomate pelato, as ervas, o vinho tinto e o balsâmico. Cubra a panela e deixe cozinhar com fogo baixo por 40'. (deixei só 20).

Coloquei na panela de pressão 6 batatas baroas descascadas e cozinhei por 20' (não deixe desmanchar). Retirei e cortei cada uma em pedaços grandes e coloquei em um pirex, coloquei o molho a bolonhesa por cima, as almôndegas já fritas, cubri com parmesão ralado e requeijão e coloquei no forno para gratinar.

Almôndegas de Fraldinha

1,5kg de fraldinha moída ¨ 2 torradas de pão integral ¨ 1 ovo ¨ 1 cebola pequena ralada ¨ 100g de bacon picado ¨ sal e pimenta ¨ farinha para polvilhar ¨ azeite para fritar

Passei as duas fatias de torrada na processador, depois passei a cebola. Juntei os dois com a carne moída, o ovo e o bacon. Misturei tudo com as mãos e temperei com sal e pimenta. Fiz bolinhas e passei uma a uma na farinha (a receita fala farinha de trigo, mas passei em uma de rosca temperada que tenho na geladeira). Fritei até dourar.

Cartoccio de Legumes

1 pimentão vermelho médio cortado em tiras (não usei) ¨ 1 berinjela cortada em cubos ¨ 2 xicaras de buquezinho de brócolis ¨ 1 xicara de erva doce picada (usei alho poró em rodelas) ¨ e acrescentei 1 abobrinha em cubos e 1 xícara de couve flor ¨ 2 colheres de chá de sal ¨ 1 colher de sopa de orégano (usei 2 ramos frescos) ¨ 4 colheres de sopa de azeite (usei azeite de manjericão).

Misturei tudo e coloquei envolto em um papel manteiga, fechado como envelope, em uma assadeira, em forno pré-aquecido, por 25 minutos.

De sobremesa fiz um pudim de chocolate e um sorvete de tapioca. Mas como sexta feira forças ocultas estavam fortemente destinadas a não deixar que nada que fosse feito naquela cozinha virasse alguma coisa decente, nem o pudim nem o sorvete ficaram como era esperado. Então vou passar a receita, dos cookies de Chocolate e Laranja com Nozes que eu fiz semana passada, quando fui visitar tio Maurício em Ribeirão!

Outrageous Soft Chocolate Cookies

224g de chocolate 1/2 amargo picado ¨ 56g de manteiga sem sal ¨ 94g de farinha de trigo ¨ 1/2 colher de chá de fermento em pó ¨ 1/2 colher de chá de sal ¨ 2 ovos grandes ¨ 1 colher de chá de baunilha ¨ 132g de açúcar mascavo ¨ 336g de chocolate 1/2 amargo em pedaços grandes (ou gotas)

Leve os 224g de chocolate picado e a manteiga ao microondas e vá derretendo de 20 em 20s. Em outra tigela peneire a farinha, o fermento e o sal. Na batedeira bata os ovos, o açúcar mascavo e a baunilha em velocidade alta até obter uma mistura clara e leve. Reduza a velocidade e adicione o chocolate derretido. Acrescente a farinha e misture só até incorporar. Junte os pedaços de chocolate. Asse em forma forrada com papel manteiga, as bolinhas de cookie de 1 colher de sopa, não colocadas muito juntas na forma. Em forno pré aquecido, 175ºC por 15'. Até que os cookies fiquem craquelados na superfície.

Cookies de Laranja e Pecã

1 laranja média ¨ 113g de manteiga em temperatura ambiente ¨ 200g de açúcar ¨ 2 ovos grandes ¨ 1 colher de chá de baunilha ¨ 3/4 de colher de chá de bicarbonato de sódio ¨ 1/2 colher de chá de sal ¨ 100g de pecãs, tostadas e picadas

Bata na batedeira a manteiga e o açúcar até obter um creme. Retire as raspas da casca da laranja e o suco. Acrescente os dois. Continue batendo e coloque os ovos e a baunilha. Peneire a farinha, o bicarbonato e o sal. Acrescente ao creme e bata em velocidade baixa até incorporar bem. Misture as nozes picadas. Asse em forno pré aquecido 190ºC, por +- 12', até que a beirada dos cookies estejam bem douradas.

** Tia Verinha é uma amiga dos meus pais de longa data, e madrinha do meu irmão. Ela mora em Cuiabá e estava aqui esse final de semana. Além de loucaaassa da cabeça, zuretinha de tudo, ela é muuuuuuuuuuito engraçada!!!! Hoje de manhã elas foram no Mercado Municipal tomar cerveja com uns amigos.... Lá pelas 2 hrs da tarde ela ligou aqui em casa:

- Benzinho, o que você ta fazendo aí sozinha???????Vem pra cá beber com a gente!

Eu: Tia, to lavando a louça, quando eu acabar eu ligo!

Liguei no celular da minha mãe depois de uma meia hora... A minha mãe mal falou "alô" e ela já tomou o telefone da mão dela:

-Não da moral pra sua mãe não, fala COMIIIIIIIIIIGO! Fala benzinho, vc ta vindo???

-Tia! Traz a cerveja pra cá que o almoço ta pronto!

Primeiro ela ficou calada... Depois tirou o telefone do ouvido e começou a gritar pro povo na mesa:

- Quando vocês ligam pra sua filha pra chamar ela pra sair, ela responde: TO LAVANDO A LOUÇA DEPOIS EU VOU???????????????????????????? Alguma vez ligaram da sua casa falando TRAZ A CERVEJA PRA CASA QUE O ALMOÇO TA PRONTO?????????????????????????????Benziiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinho, você é meu sonho de consumo, Marina!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E a sua mãe ainda briga com você.......................

- Pois é tia.... Pra você ver... O mundo é injusto.......... Cão é indócil.......................

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Forget love!



I'd rather fall in chocolat!

sábado, 7 de junho de 2008

(des)Consolo

Meu pai sempre foi o rei das carnes lá em casa...
Por mais que minha mãe pelejasse, nunca conseguiu fritar um bife igual os do meu pai... Teve até uma época em que ela ficou obcecada por fritar bifes iguais ou melhores que os dele... O resultado foi que hoje, só como bifes quando vou pra casa...

Eles são altos, com casquinha por fora, e quando cortados derramam os sucos da carne no prato... São discretamente temperados e infinitamente macios... (salivou?)

Meu pai ainda faz a própria carne de sol... Faz ensopados de javali... Paleta de cordeiro...

Pois bem... Agora eu também sei fazer carnes!

A minha foi cozida em berço de fúria, ficou marinando horas no veneno, só pra poder competir com ele; o vira-casaca.

Chegou até mim a notícia que o MEU PAI andava fazendo jantares em NOSSA RESIDÊNCIA, aonde um dos ilustres convidados (pasmem agora*) seria um ex-falecido-muito-do-vivo-namorado meu!!!!!!
(sic!)
Que claro, óbvio, esperado e indispensável me ligou em pessoa (tô dizendo que o bicho ta mais vivo do que nunca*) para me contar que andava frequentemente jantando em minha casa, desfrutando da companhia e das delícias de meu pai......

Sem perceber, meu pai havia dado àquele jovem desprovido de coisas mais úteis para fazer, a oportunidade que ele vinha esperando há muito tempo: ter um motivo para me ligar e de alguma forma contar alguma vantagem sobre mim.
Deu até uma risadinha no final, exibindo orgulhosamente a imensa sorte dessa oportunidade atingir justamente o meu tendão de Aquiles: a vida social de meu pai.

Por alguns segundos perdi a fala...

Depois respondi, calmamente, em tom amistoso (juro), que realmente era um costume nosso (da minha família) promover a inclusão social de deficientes mentais partilhando ocasionalmente do prazer de uma boa refeição... Tipo como uma caridade... Ou um trabalho social voluntário...

Embora eu acredite que ele não tenha entendido uma única palavra da minha resposta desliguei o telefone como se ele tivesse o feito e me pus a arquitetar minha vingança contra aquele que tinha momentaneamente se tornado um adversário em potencial: o meu próprio pai...

Maior que a dor de ser traída é ser traída pelo seu próprio provedor...
Vai contra a natureza humana...

Mas como eu sei que uma refeição consumida na ira envenena o estômago, caprichei no preparo e deliciei-me com o nascimento do meu filho pródigo, o:


Cabrito Revoltado



Temperei meu competidor com uma mistura de 1 colher de sopa de sal, 1 de pimenta do reino e 1 de açúcar mascavo
*Esfreguei bem
Cubri com uma mistura de 300ml de cachaça, suco de 1 limão e 1 colher de sopa de mel ( Mas acho que duas colheres ficará melhor)
*Deixei marinando por 3h
Numa panela grande coloquei 1 colher de sopa de manteiga e um pouco de óleo e dourei o cabrito dos dois lados.
*Depois de dourado acrescentei o molho do marinado, e mais +- 400ml de caldo de carne
*Tampei e deixei cozinhar enquanto preparava as guarnições.


Farofa de Quirela com Linguiça Toscana

*Refoguei meia cebola grande picadinha e 2 dentes de alho também picados.
*Juntei 120g de quirela (canjiquinha) e deixei fritar por mais dois minutos
*Acrescentei 500ml de caldo de legumes, aos poucos, até cozinhar al dente e ficar quase seco.
Espalhei numa assadeira para secar e reservei.

Peguei duas linguiças toscanas e retirei a tripa, cortei e separei bem com a faca.
Refoguei em alho, cebola e 1/2 pimenta dedo de moça cortada.
Depois juntei a quirela e esperei secar até a farofa ficar soltinha.


Creme de Espinafre

Cozinhei um maço de espinafre no bafo até murchar.
Escorri e piquei.
Fiz um creme com 1 colher de sobremesa de manteiga, 1 colher de sobremesa rasa de farinha de trigo e dois copos de leite. Temperei com noz moscada ralada na hora, sal e pimenta do reino.
Juntei o espinafre.



Comi de joelhos.
Apesar da farofa de quirela ter saído tão gostosa que acabou ofuscando um pouco meu competidor, o conjunto se apresentou ótimo em cor, sabor e textura.







E nós estamos momentaneamente abalados, dr Ernesto.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

O Homem que Comeu de Tudo

Quando comecei a ler o “O Homem que comeu de tudo”, de Jeffrey Steingarten, não imaginei que o livro fosse mudar tanta coisa em mim... Confesso que mooooorro de preguiça de livros muito grandes (ou seja, mais que 300 páginas). Eles geralmente não cabem na minha pequena bolsa de ir à academia (aonde eu leio a maior parte dos meus livros), parecem não ter fim, fora o peso... Preguiça total! Mas as 495 páginas do livro abrigam várias receitas (inclusive de renomados chefs de todo o mundo), relatos de viagens, tratados médicos e científicos, crônicas de costumes e diversas críticas sobre o que intitulamos ser “comida saudável”. O livro traz muita informação, de maneira nem um pouco cansativa já que o modo como Steingarten escreve é impiedosamente irônico.
Ele começa o livro disposto a convencer a si próprio que nenhum cheiro ou gosto é repulsivo de nascença, e cria então a Lista dos Seis Passos para Libertação do Paladar.
Numa jornada de mil refeições que começa com apenas uma mordida... Ele viaja até o Japão só pra provar um bife de Wagyu (antiga raça de gado japonês criada com massagem e acupuntura), escala o Etna atrás da granita mais original, caça trufas com cães em Piemonte e contrabandeia gordura de cavalo para fritar batatas.
“Steingarten é o homem que comeu de tudo e sobreviveu para contar.”

Além dos detalhes de cada prato, de cada viagem, de cada frustração, ele ensina a comer no subúrbio de Paris, ensina o melhor cozimento das batatas para um purê perfeito, o ciclo das frutas, conta quantas miligramas tem uma sacudida de sal no saleiro e faz uma crítica análise dos produtos que hoje invadem nossos supermercados.

Na página 145 porém, ele escreve um trecho no qual eu me identifiquei completamente nele.
Ele escreveu:

“Fica difícil medir a fome de outra pessoa, exceto perguntando como ela se sente, mas somos capazes de medir o tamanho de seu apetite, medindo quanto ela come. A diferença é importante, porque fome e apetite nem sempre coincidem. Não me sinto faminto após o prato principal de meu jantar, mas ainda tenho apetite para a sobremesa. Comer um monte de fibras pode eliminar minha fome e fazer sentir cheio, mas, como veremos, pode não fazer muito para satisfazer meu apetite – minha tendência a comer.”

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Just DO IT

Venho assistindo o país buscar explicações econômicas para a fome nas medidas de produção e disponibilidade de alimentos. Reportagens sobre o aumento do preço dos alimentos estampam revistas e jornais semanalmente.
A Revista VEJA de 23 de Abril trouxe na página 68 a reportagem “O Fantasma de Malthus” sobre o aumento nos preços dos alimentos no país. Ela afirma (em letras grandes) que a alta do preço dos alimentos assusta, mas não condena o mundo à fome...
35 dias depois da publicação, a revista volta a abordar o tema, mas agora o discurso é diferente... VEJA, de 28 de Maio, página também 68: “O preço dos alimentos disparou, e o aumento médio no mundo passa dos 80%. A crise atual, a pior dos últimos trinta anos, é um grito de alerta sobre uma questão que pouca gente ousa discutir: o planeta mal consegue alimentar 6,7 bilhões de bocas hoje. O que ocorrerá em 2050, quando seremos 9,2 bilhões de terráqueos? A comida será cara e rara como nunca”.
É um grito de alerta?
Mês passado ela era sequer “assustadora”...

O “Fantasma de Malthus” se refere à teoria do economista e demógrafo inglês Thomas Malthus (1766-1834) de que antes do século XX o mundo desfaleceria com a falta de comida já que a produção de alimentos crescia em ritmo aritmético (n+1) e a população em ritmo geométrico (2n).
A profecia não se concretizou, pois o homem se beneficiou com os avanços tecnológicos agrícolas como fertilizantes, transgênicos e o interesse do governo em estimular financeiramente a inovação tecnológica.
Mas a população realmente cresceu em ritmo geométrico nesse tempo e o Banco Mundial estima que até 2015 uma população equivalente a mais de meio bilhão de pessoas esteja vivendo no país. País esse que não respeita o meio ambiente em que vive, não protege suas florestas, nem o ar, nem a água. O país que permite que a cada cinco segundos uma criança morra de inanição terá até 2015 quase triplicado sua população, além de jogar aproximadamente 100 milhões de habitantes pobres na miséria absoluta.
Apesar dos avanços tecnológicos impressionarem o mundo hoje, nós ainda temos que lidar com a fúria de uma natureza degradada pelo homem, a variabilidade do clima, colheitas ruins, secas, inundações e outras calamidades... Continuamos vulneráveis à especulação de preços, aumento do preço do petróleo, a explosão dos biocombustíveis.
A situação do Brasil quanto à fome é confortável se comparada com a Somália, onde a polícia tem que dispersar os famintos desesperados com tiros... Ainda não há escassez em nossos supermercados como está havendo na Argentina... E essa situação de falso conforto impede o governo de adotar medidas que evitem a fome antes que ela atinja proporções consideráveis... Não se trata de superar a crise... Trata-se de evitá-la... A fome seria totalmente evitável se o governo fosse incentivado a agir a tempo.
Somos um país democrático, com imprensa relativamente livre, escolhemos nossos dirigentes, nossos representantes, mas nos falta voz ativa... E essa generalização se aplica tanto às classes pobres como as ricas, ao contrário da fome; que raramente atinge os governantes.
Somos influenciados a pensar que países em desenvolvimento não têm condições de enfrentar gastos com a saúde pública e educação antes de ficarem mais ricos e fortalecidos para então poderem lidar com o problema. Até parece que não assistimos ao crescimento de países como Cingapura e Coréia do Sul...
Precisamos parar de querer programas eficazes para combater a desigualdade social e a miséria e começarmos a exigir dados que comprovem que os números de crianças mortas por segundo estão realmente abaixando com as providências tomadas.
Precisamos parar de culpar os biocombustíveis pelo aumento do preço nos alimentos e exigir que os alimentos que nós produzimos sejam mais bem distribuídos para que cheguem à todos.
Exigimos sermos punidos pelo desperdício da comida que nos chega sem dificuldades e que poderia alimentar quase 10 milhões de pessoas por dia!
Adoramos dizer que não estamos (nós brasileiros) comendo mais, e sim melhor. Ou seja, estamos orgulhosamente deixando de aliviar a fome crônica e evitar a fome crítica para comermos mais carne por mês...
Não queremos, EXIGIMOS que não haja estocagem preventiva e acumulação de reservas para fins de especulação. Chega de permitirmos que os nossos produtos sejam colocados ou retidos do mercado de acordo com os incentivos monetários e as expectativas de alterações nos preços!
1...2...3...4...5...
Menos uma criança.
Isso é uma negligência inadmissível...
É uma negligência nossa. Que sorrimos na frente da TV vendo a sonda Phoenix procurar pela vida das milhares de crianças do mundo que diariamente nós mandamos para Marte...