domingo, 13 de fevereiro de 2011


Faz tempo que passo por aqui constantemente... Me faltava coragem para voltar... Talvez porque esse aqui já foi meu cantinho preferido, uma refúgio, um prazer, uma diversão... Durante muito tempo foi o único lugar que eu me sentia livre pra falar, pra trocar idéias, pra conhecer pessoas, e conheci! Muitas, e interessantíssimas!

Quando passei aqui, depois de tanto tempo longe, me assustei
com os seguidores "desconhecidos" que achei por aqui... Fiquei feliz mas ainda assim me faltou coragem pra voltar... Talvez eu tenha mudado, os planos tenham mudado, talvez não, muita coisa mudou. Meu carinho enorme por esse cantinho não diminuiu nem sumiu, deu lugar a uma saudade gostosa, porque aqui, eu me diverti muito! Mas um outro embrião foi gerado, e agora, tenho me dedicado mais à ele... Um projeto por muito tempo idealizado, e que finalmente começa a dar pequenos passos.

Prometo não abandonar mais esse cantinho.... Mesmo que com menor frequencia, e talvez com outra linha de assunto, passarei por aqui para deixar alguma coisa...

Gostaria de apresentar a vocês meu novo projeto: a Mary Pop Cupcakes e Etc.
Quando era pequena, meu pai sempre me chamava de Mary Pop. Entre vários apelidos carinhosos que ele me dava, Mary Pop perdurou até a adoslescencia... E hoje em dia, de vez em quando ele aparece em algum telefone saudoso de meio de tarde.... Quando pensei em começar alguma coisa minha, primeiro tinha que decidir a linha a seguir. Recém desembarcada de 6 meses só na confeitaria, queria respirar novos ares, mas sabia que ali eu me sentia bem. Decidi então apostar em outra linha em algum emprego, e no meu negocio apostar do que eu mais gostava de fazer, sobremesas. Como tinha prazer e experiencia de algumas encomendas e alguns trabalhos em parceria com uma amiga do Senac decidi apostar no Cupcakes e Docinhos. O nome veio à mente na hora... Teria algum que combinasse mais comigo do que Mary Pop Cupcakes e etc? Nasceu então o meu pequeno projeto. Que ainda está em fase de geração, mas desde as festas do final de ano tem rendido boas experiencias e feito boas amizades!

Além do nome que vinha de família, a criação da arte também não poderia fugir da linha. Não tive dúvidas quando pedi ajuda a Mariana Uchôa, super designer do Rio de Janeiro, e amiga da família a tipo assim, uns 20 anos! Além de confiar no trabalho, que sempre me impressionou pela qualidade e criatividade, tinha liberdade para opniar e mudar... Mas nem foi preciso... Mariana fez tudo, rapidinho, deu mais um sopro de vida no meu pequeno projeto. Se você quiser conferir mais do trabalho dela basta acessar o marianauchoa.com.



Fechando o post que abre a nova temporada do blog conto que comecei 2011 com tudo! De apartamento novo, cozinha minha, carro novo, o namorado é o mesmo mas começamos 2011 mais juntos, mais felizes, mais amigos, mais tudo de bom! E é isso que desejo pra todo mundo que ainda segue esse cantinho, feliz 2011 e tudo de bom!

domingo, 24 de janeiro de 2010

Festival Gastronômico do Itaim


Vale a pena pelos preços e pelos restaurantes! Corre que ainda da tempo. Aproveita semana que vem e janta fora todos os dias... Como eu fiz essa semana! Bigodones Bank Lawyers só vai sentir 13 de Fevereiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Adorei o cardápio do Torero, e do La Tambouille e conferi os frutos do mar do Porto Rubaiyat. Atendimento bom, lugar bem iluminado e decoração bonita. Achei um pouco voltado demais pros gringos, como nas opções de sobremesa, que até deixaram um pouco a desejar. Mas o buffet tem saladas ótimas, ingredientes frescos, e os frutos do mar grelhados achei deliciosos! As costelinhas de tambaqui, e os camarões pitu são finamente grelhados, no ponto e tempero perfeitos. Não estranhe se levantar para ir ao buffet e quando voltar sua bolsa estiver amarrada à sua cadeira. A casa informa que é por segurança.
Sua ou deles?
A casa só aceita visa, mas o vallet é cortesia. Detalhe raro em São Paulo. A promoção no restaurante estende-se ao buffet e ao buffet de sobremesas a vontade. Sem vinho, mas com cervejas e refrigerantes saiu a R$ 70,00. E valeu muito a pena.


Porto Rubaiyat

Menu

Entradas
Mesa de pratos frios, salada de folhas verdes, salmão defumado, aspargos, salpicão de frutos do mar, torre de tomates com mussarela e mexilhões ao vinagrete.
Principais
Pirarucu fresco ao leite de castanha, pescada amarela ao molho de maramanga, bobó de camarão, moqueca de surubim, arroz branco e de chicória, paella marinera, robalo ao molho Meunière, lula en su tinta, pure de batatas com espinafres, lasanha de frutos do mar, peixes brasileiros de rio grelhados.
Sobremesas
Buffet de sobremesas variadas.


Rua Leopoldo Couto de Magalhães Jr., 1142.

Confira os menus dos participantes:

La Tambouille
Bar des Arts
Sallvattore
Thai Gardens
Freddy
Quattrino
Eñe
Sassá Sushi
Torero Vallese
Picchi

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Cupcakes!






Super encomenda que me deixou muito feliz! Cupcakes de chocolate com doce de leite, limão, fubá com goiabada, chocolate com brigadeiro e banana com doce de leite!
Alguns mini desastres ocasionais da primeira encomenda! Não se engane pela fofura e pelo tamanho, essas mini delícias dão um trabalhinho!!!!!
Tomara que o pessoal do escritório tenha gostado tanto quanto meu avô, que quase não deixou os bolinhos irem embora!

Cupcake de limão

1 e 1/2 copo de farinha
raspas de dois limões sicilianos
1/2 colher de essência de baunilha
100g de manteiga
1 e 1/2 colher de sobremesa de fermento em pó
1 copo de açúcar
3 ovos
1/2 copo de leite

Retire as raspas dos dois limões e coloque junto ao açúcar no bowl da batedeira. Com as mãos esfregue bem as raspas no açúcar. Depois bata esse açúcar com a manteiga e a essência. Junte os ovos um por um. Adicione o leite e os secos aos poucos

Para a cobertura misture na panela uma lata de leite condensado com o suco dos dois limões. Cozinhe pouco, para ficar um brigadeiro mole. Deixe esfriar dentro da geladeira já no saco de confeitar.


Essa receita rende exatamente 20 cupcakes grandes.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Menu

Revista Menu
Janeiro/2010

Pg 12
Aprendiz de Cozinheiro


Hugo Ibarzabal e a descoberta da pólvora
"Quando era criança e morava numa fazenda em Pasteur, cidade no interior da Argentina, meus amigos e eu descobrimos que era possível fazer um tipo de pólvora caseira ao juntarmos carvão moído, sal grosso e enxofre. Colocávamos em uma caixa e nos divertíamos ao ver as pequenas 'explosões'. Nessa brincadeira, percebi que o cheiro do carvão queimado, que normalmente irrita o nariz, não era tão forte. Quando adulto, resolvi usar esta descoberta da infância ao montar a minha churrasqueira. Claro que causou estranheza em muitos clientes, que me viam colocar sal grosso no carvão. Achavam que era para deixa a carne salgada! Mas na verdade é só uma forma de o anidrido carbônico não deixar um gosto forte na carne e até evitar uma digestão mais pesada. Primeiro eu forro a base com uma folha de jornal, depois acrescento um guardanapo embebido em óleo, pois isso forma uma 'lamparina' e mantém a chama acesa por cerca de 15 minutos, tempo suficiente para atingir o carvão. depois de colocar os pedaços de carvão, acrescento um punhado de sal grosso no meio. Logo você notará umas faíscas saindo da churrasqueira, sinal de que o carvão está expulsando o gás indesejado. Quando as brasas estiverem benfeitas, a churrasqueira está pronta para o preparo de uma autêntica parrilada argentina."

Hugo Ibarzabal é chef e proprietário do restaurante e bar Buenos Aires, em Embu das Artes (SP).


Viagem de Sabores
Pg 49

Cresce a procura por destinos gourmets, em programas que incluem desde roteiros sob medida, guiados por chefs, até visitas a cozinhas de restaurantes.
por Beatriz Marques

Uma reserva para jantar no elBulli, na pequena cidade de Roses, define a Espanha como destino de uma viagem de férias. A chance de conversar com uma cozinheira de lámen, o típico macarrão japonês, leva turistas a visita guiada por um chef de cozinha ao País do Sol Nascente. Provar um vinho que ainda envelhece em barris de carvalho, acompanhando os comentários do enólogo que o elaborou, é outra oportunidade de dar água na boca. Roteiros assim, rumo a novos aromas e sabores, atraem casa vez mais pessoas interessadas nos chamados destinos gastronômicos, criados pelas agências de viagens sob medida para o turista de garfo e faca.
"Montamos o roteiro de acordo com o desejo do cliente", conta Tati Simões, sócia da Gouté, agência especializada em destinos gastronômicos inaugurada em agosto de 2009. Junto com sua sócia Daniela Hispagnol, ex proprietária do restaurante Toro, em São Paulo, Tati vai até a residência do futuro viajante para entrevistá-lo e descobrir seus gostos e paladar. "Reparamos até na decoração da casa, para conhecer o estilo do viajante", conta a executiva, que, antes da Gouté, trabalhou na The Leading Hotels of the World, rede especializada em hotéis de luxo. Depois de tudo anotado, a dupla corre atrás dos hotéis, das passagens aéreas, das reservas em restaurantes estrelados e até de contatos prévios com os chefs, tudo para saciar a fome do cliente.
Nestes roteiros, muitos turistas querem mesclar destinos requintados, como um jantar em restaurantes três estrelas no Michelin, com outros não tão óbvios assim, fora dos guias de viagens. "Em Paris, chego a recomendar muitos bistrôs não frequentados por turistas", afirma Neriton Vasconcellos, proprietário das agências Píer 1, especializada em roteiros marítimos, e da Rainbow.
Muitos procuram também se inserir na cultura local, entendendo um pouco mais a origem de uma receita ou o gosto de um tempero. "Eles querem ver as comidinhas de rua, os pratos típicos preparados nas casas de família", diz Teresa Perez, proprietária de uma agência de viagens que leva seu nome. Há 25 anos no mercado de luxo, Teresa não se esquece do encanto de um pequeno grupo de brasileiros ao ter contato com cozinheiras, numa viagem guiada por Istambul e Capadócia. Vestidas com longas saias e sentadas no chão, elas preparavam o pão em pedra aquecida.
Ter um chef que conheça o destino, fale português e se transforme em guia é um dos pontos altos do pacote. Em outubro de 2009, Teresa levou um grupo para o Japão, guiado pelo sushiman Jun Sakamoto. Os 14 viajantes puderam conhecer endereços de Tóquio e Kyoto que Sakamoto frequenta e mantém contato com seus proprietários, como os restaurantes estrelados Giro Giro, Junidanya e Kicho.
Outro atrativo são as refeições preparadas pelo chef brasileiro em terras estrangeiras para o grupo de viajantes. Aqui, o planejamento da viagem é fundamental para garantir todos os ingredientes e utensílios em mãos. Esta preocupação faz com que Ioran Sheps, sócio da S3 Turismo, vá antecipadamente aos destinos para não ter falhas no roteiro. (...)
Roteiro semelhante está sendo criado pela dupla Tsuyoshi Murakami, chef, e Marcelo Fernandes, empresário. Sócios do restaurante japonês Kinoshita, em São Paulo, os dois viajam para o Japão uma vez por ano para se atualizar sobre as tendências gastronômicas do país. Agora, em 2010, eles planejam duas viagens para Kyoto e Tóquio, na primavera e no final do outono, estações marcantes para a culinária nipônica. "Depois da minha primeira viagem ao Japão, muitos clientes me pediram para organizar um roteiro gastronômico para eles", conta Fernandes. No programa, ainda em elaboração estão previstas visitas ao mercado de peixes Tsukiji, ao restaurante Kyubei, sushi-bar em Tóquio, e também à casa de uma senhora que faz lámen.
Pacotes temáticos já montados se somam a estes roteiros personalizados. O programa Gouté Confiance leva pequenos grupos, de até dez pessoas, para conhecer destinos gourmets em programas sempre ciceroneados por um chef ou especialista no tema. Para este ano, a Gouté tem agendado sete viagens - estão incluídos desde roteiros nacionais (nossa região Norte com a chef Ana Luisa Trajano, do restaurante Brasil a Gosto) até os achados gastronômicos de Nova York e Paris por Juliana Motter, dona da doceria Maria Brigadeiro, na capital paulistana. (...)


Gouté
http://www.goute.com.br/site/

S3 Turismo
http://www.s3turismo.com.br/

http://www.enoamigos.com/

http://eduluz.wordpress.com/

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Amores

Eu me considero uma pessoa de muitos amores... Amores intensos, muitas vezes cheios de dor e mágoa, que apesar de não deixar transparecer ficam pra sempre guardados.
Mas durante quase 7 anos, tive dois amores na vida, aos quais fui totalmente fiel e responsável: minha boêmia e descompromissada sexta feira à noite e meu irresistível e comprometedor sábado.
E eles são dois amores exigentes.
Pela consideração da imensa alegria que eles me proporcionam, eu me sentia mais do que na obrigação de tentar fazer com que eles passassem por momentos inesquecíveis. Como todo bom amante, presentear nossos amores, só faz parte.
Algumas vezes meus amores chegavam na minha vida de uma forma que eu nem me lembro. Quando dava por mim, eles ja tinham promovido encontros, festinhas no apê, viagens de ultima hora, vibes inesquecíveis.
Até hoje eles me contam várias historias... Não se engane pensando que são apenas histórias boas, engraçadas e com final feliz... Muitas vezes, em meio a litros de lágrimas, desejei nunca ter conhecido nem sextas e nem sábados... Desejei esquecer meus amores... Será que ainda tem gente que não acredita que a maior dor é a dor do coração partido?
Mas como todo cafageste que se prese, eles vinham com aquele charme irresistível e em segundos você se rende, esquece toda raiva, todo arrependimento, e todas as promessas de esquecer aquele amor...
Durante sete anos eu me rendi. Não conseguia me conter, me impor. Porque eles são assim, a alegria em pessoa, nunca deixando espaço para contraria-los.
E pra que eu quereria?
A hora da despedida chegou. Mas dessa vez eles compreenderam... eles sabem que precisam me deixar ir... A conta não é mais de 7 anos... são 23 agora. Acabaram as férias de meio e final de ano... A faculdade ja ficou pra trás, a especialização também... O destino se encarregou de promover o término desse amor... Colocou na minha vida uma nova paixão... Talvez ela não promova 100% de diversão como os meus ex, mas ela me propõe segurança... Me prepõe um chance de futuro e até mesmo a oportunidade de conhecer novos amores...
Me despeço da minha boêmia e descompromissada sexta feira à noite e meu irresistível e comprometedor sábado para me render ao charme da Gastronomia, minha nova paixão. E esse término só vai ser possível porque minha nova paixão me fez o irresistível convite de trabalhar num cruzeiro marítimo italiano. Serão oito meses onde não vai existir sextas nem sábados... Todo dia é segunda feira.
Eu sei que a gente ainda vai se encontrar... Perdidos por aí, um dia qualquer, só pra matar a boa saudade... Mas sinto muito em dizer, vocês não são mais os meus dois amores. Não sou mais fiel e nem responsável por vocês... Serão apenas uma saudade na minha vida... Mas é hora de mudar.


E esse lugarzinho aqui, que também é um dos meus amores, vai continuar O Diário de uma Gourmet Viajante, relatando a vida a bordo, alguns restaurantes do mundo, a cozinha de um navio que alimenta 5.000 pessoas por dia, o itinerário de 8 meses pela Europa, e a saudade de casa...

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Comida alemã no Caverna Bugre

Quando falamos em comida alemã, automaticamente pensamos em salsicha e chucrute! Mas enganam-se aqueles que pensam que a culinária alemã tem apenas esses pratos para apresentar. As diferenças entre as regiões norte e sul da Alemanha (norte protestante com maior influência nórdica, sul católico com maior influência latina e eslava) se refletem na sua rica gastronomia. As saladas deixam de ser acompanhamento e acompanhadas de um bom pão escuro tornam-se pratos principais. Além das salsichas de todas as formas, tamanhos, cores e sabores, falar da Alemanha é também falar de queijos, salames e presuntos infindáveis, carnes, molhos (muitos molhos!), pães de várias preparações diferentes e claro, applestrudel. Entre as salsichas, a Bockwurst (feita com carne de vitela e porco), a Bratwurst (feita com carne de vitela, porco ou vaca) e a Weisswurst (salsicha branca feita com vitela e toicinho, tradicional da Baviera) são as mais consumidas. Enquanto a Weisswurst é consumida cozida, as outras podem ser preparadas de várias maneiras: grelhadas, fritas, assadas... Sempre acompanhadas por boas mostardas.O pequeno restaurante Caverna Bugre em Pinheiros tem pratos tradicionais como o joelho (frito ou assado) acompanhado de chucrute, salsichas e batatas; costelinha com os mesmos acompanhamentos.O joelho e a costelinha fritos são bem sequinhos, nem escorre óleo na travessa. As salsichas são deliciosas e acompanham mostarda escura e clara. O carro chefe da casa é o filé alpino, filé mignon coberto com copa, catupiry, provolone e gratinado com molho inglês. O applestrudel além de delicioso pode vir acompanhado de sorvete de creme, que faz a combinação perfeita. A casa é pequena e o movimento é grande. Atenção ao estacionamento. A casa não trabalha com valet mas possui convênio com o estacionamento do outro lado da rua.


Caverna Bugre
Rua Teodoro Sampaio, 334 – Pinheiros
Tel (11) 3085-6984
www.cavernabugre.com.br

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Super Interessante

Edição 270/Outubro 2009



Pg 22
Cientistas inventam o chocolate perfeito
Ele não derrete e tem 90% menos calorias que o tradicional

O novo chocolate, que foi criado por pesquisadores suíços, promete essas vantagens sem nenhuma desvantagem. – supostamente, seu gosto é igual ao do chocolate comum. A nova fórmula surgiu nos laboratórios da empresa suíça Barry Callebaut ( a maior produtora de chocolate do mundo, com 1,1 milhão de toneladas por ano). O superchocolate, que chegará ao mercado em 2011, resiste a temperaturas de ate 55 graus, só derrete na boca, em contato com as enzimas da saliva.

Pg 32
As novas calorias
Encha o prato: alguns alimentos tem (bem) menos energia do que sempre se acreditou.
Texto: Marcela Chartier

Se você está querendo emagrecer, comemore. Um estudo afirma que certos alimentos podem ter bem menos calorias do que se acreditava. Isso porque o organismo não consegue absorver toda a energia que está contida na comida, já que gasta parte dela para fazer a digestão da própria comida. Parece elementar, não? Mas só agora, dois séculos depois que o cálculo de calorias foi inventado, surgiu uma fórmula que leva isso em conta.
O novo método de contar calorias foi criado pelo nutricionista inglês Geoffrey Liversey, que analisou 1.189 tipos de alimento. “Em alguns tipos de alimento, ricos em fibras e proteínas, a diferença pode ser significativa”, afirma a nutricionista Renata Maria Padovani, da Unicamp. Isso acontece porque as fibras e as proteínas são mais difíceis de digerir do que se imaginava. Os nutricionistas também estão descobrindo que o modo de preparo e até a textura doa alimentos podem alterar seu teor de calorias.
Cientistas da Universidade de Kyshu, no Japão, alimentaram dois grupos de ratos com a mesma quantidade de ração. Única diferença: a ração do segundo grupo era mole. Ao fim da experiência, algo incrível aconteceu. Embora ambos os grupos de ratos tivessem comido a mesma quantidade de comida, o segundo grupo (da ração mole) estava obeso. É que a ração dura era mais difícil de digerir – e os ratos gastavam mais energia para processá-la.
Apesar de tudo isso, a FAO (agência das Nações Unidas que determina os padrões globais de nutrição) já afirmou que não vai adotar a nova contagem de calorias – porque teme que ela possa agravar a epidemia de obesidade no planeta. E tem certa razão nisso: afinal, as pessoas já comem demais.




Pg 52
Manteiga deve ser guardada dentro ou fora da geladeira?
Texto: Nathália Brga


Se você é ousado, curte adrenalina e gosta de viver perigosamente, esta dica é para você: deixe a manteiga fora da geladeira. Se ela ficar mais de horas para fora, é aventura certa.
Para entender o porquê, é preciso começar pelo processo de fabricação. A matérias prima da manteiga é o creme de leite, que é gerado durante a pasteurização – o processo de esterilização. Esse creme, rico em gordura, é batido e submetido a um processo de nome engraçado, malaxagem, em que a água que ficou no interior da manteiga é retirada. O resultado é um produto formado basicamente por gordura láctea: 82%, contra 16% de água. Os 2% restantes são sal (ou não) e aromatizantes.
Justamente por ainda ser basicamente leite é que a manteiga requer cuidados de armazenamento. Fora da geladeira, bactérias e fungos fazem a festa sobre ela. Deixando-a rançosa e amarga – uma manteiga que sai para passear e não volta pode causar até intoxicação alimentar. Dentro do refrigerador, as temperaturas de 0 a 5 ºC freiam essa proliferação, estendendo sua vida útil.
Mas calma. Isso não significa o fim do prazer de deslizar a manteiga molinha no pão. É só não abusar: segundo o biomédico Roberto Figueiredo, especialista em higiene de alimentos, a manteiga pode ficar fora por até duas horas. Mas, se você não quer acordar ás 6 da manhã para guardar a manteiga até as 8h, a dica é deixá-la na porta da geladeira, onde a temperatura menos baixa a torna menos dura.